Bom dia,meu amado Senhor!




Fica o que somos!



Aquele senhor havia morado no mesmo bairro durante toda a sua vida. A convite de um filho que morava em outra cidade, resolveu-se mudar. Enquanto arrumava suas coisas, uma vizinha veio visitá-lo.Com lágrimas nos olhos perguntou- lhe:
_ O senhor vai levar tudo?
_ Não tenho muita coisas. Acho que cabe tudo em duas ou três malas.
_Mas há uma coisa que você ira ter que deixar aqui, disse a mulher, fitando-o. O senhor não vai poder levar o exemplo que deixou entre nós.
Esse é o viver de um cristão. Muitos pensam em impressionar outros por seu conhecimento profundo ou por sua eloquência ou idéias arrojadas, mas o que realmente expressa Deus diante dos homens é nossa vida. As nossas idéias poderão ser combatidas por outras, mas contra o que vemos não há contestação. É fácil resistir á pregação de uma boa mensagem bíblica, mas é impossível resistir ao testemunho de uma vida entregue nas mãos de Deus.

“Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus” (Atos 4:13)
(Jornal Árvore da vida)

Diálogo com Deus



Conta-se que o cientista Louis Pasteur encontrava-se certa manhã de mãos postas sobre sua mesa de estudos , dedos alinhados e cabeça reclinada.Assim esteve o renomado sábio durante algum tempo,observado por um estudante , até que de novo ergueu a cabeça e dirigiu-se a um o pequeno microscópio.
_Pensei que estivesse orando..
_Sim , estava, disse Pasteur.Estava dizendo coisas lindas pra Deus e ouvia, ao mesmo tempo, verdades ainda mais belas, conforme as obras de Deus nos revelam.
A história acima nos mostra como um dos maiores cientistas que o mundo já conheceu,em meio a tantos e tão altos e baixos,sentia anseios por Deus e por ter comunhão com Ele, a ponto de interromper seu trabalho.
Não importando que pedestais da glória o homem alcance, ele ainda é um vaso de barro criado por Deus para O conter e o seu coração anela pelo Criador!Pasteur fez menção de como ouvia lindas coisas de Deus conforme revelam Suas obras,provavelmente porque via tanta manifestação de Deus nas maravilhas da natureza que pesquisava .Assim ele ouvia e conhecia a Deus.
(Jornal Árvore da vida)


A Vida que Deus ordenou pra nós...


Na mensagem anterior vimos em que consiste nossa própria experiência. Gostaríamos hoje de falar sobre o tipo de vida que Deus ordenou para o cristão. De acordo com Deus, que tipo de vida um cristão deve levar? Não nos referimos aqui a cristãos mais experimentados, mas a todos os cristãos, os que foram salvos e regenerados e receberam a vida eterna. Que tipo de vida devem levar? Somente depois de sabermos isso é que veremos o que nos falta. Que a Bíblia diz acerca da vida cristã? Examinemos alguns trechos da Bíblia.

     Mateus 1:21 diz: "Ela dará à luz um filho, e O chamarás pelo nome de Jesus, porque Ele salvará o Seu povo dos seus pecados".
     Recentemente, quando estive em Chefoo e Pequim, alguns irmãos comentavam que antes eles gostavam muito de chamar ao Senhor de "o Cristo", mas agora gostavam de chamá-Lo de "Jesus, meu Salvador". Ele é chamado de Jesus porque "salva Seu povo dos pecados deles". Recebemos a Jesus como Salvador e obtivemos a graça do perdão.
Agradeçamos e louvemos ao Senhor porque agora Jesus é nosso Salvador e porque nossos pecados já foram perdoados. Mas que fez Jesus por nós? "Ele salvará o Seu povo dos seus pecados". Isso é o que Deus ordenou; é o que Cristo realizou. O que importa agora é se continuamos vivendo no pecado ou se fomos libertados dele.
    Nosso mau gênio está nos atormentando? Continuamos atados aos nossos pecados e enredados pelos nossos pensamentos?
    Somos tão orgulhosos e tão egoístas como antes? Continuamos sendo os mesmos ou já fomos libertados do pecado?
 Muitas vezes dei o seguinte exemplo: há diferença entre uma boia e um barco salva-vidas. Quando um homem cai na água e alguém lhe atira uma boia, ele não se afogará se se agarrar a ela, porém não sairá da água. Não afundará, todavia não poderá sair da água.Não estará morto, porém também não estará vivendo. O barco salva-vidas é diferente. Ao entrar no barco salva-vidas, a pessoa que estava em perigo de afogar-se sai da água.
 A salvação que o Senhor nos proveu não é a salvação da boia, mas a do barco. Ele não irá até a metade do caminho deixando-nos entre a vida e a morte. Ele salvará o Seu povo dos seus pecados. Ele não nos deixa nos pecados. Portanto, a salvação descrita na Bíblia nos salva do pecado. Apesar disso, mesmo que já tenhamos crido, não somos salvos do pecado; ainda vivemos nele. Por acaso a Bíblia está equivocada? Não, não há nada equivocado na Bíblia; é nossa experiência que está equivocada.
    Que outra coisa fez Jesus quando veio a nós? Que diz a Bíblia a respeito de Sua obra? Vamos prosseguir.

(Capítulo II do livro A VIDA QUE VENCE-Watchman Nee)
Todos os direitos reservados.

CONTINUA...

A vida cristã revelada na Bíblia.Muito Edificante!Super interessante!


Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo. 
(Efésios 1:3)

       Quando fomos salvos, a graça de Deus encheu de gozo nosso coração. Naquela época, nossa vida encheu-se de esperança e achamos que desde aquele momento todos os nossos pecados ficariam sob nossos pés. Pensamos que dali em diante poderíamos vencer tudo. No momento de nossa salvação acreditamos que não havia nenhuma tentação tão grande que não pudéssemos vencer, nem dificuldades que não pudéssemos superar. Nosso futuro estava cheio de esperança gloriosa. Pela primeira vez, experimentamos a paz do perdão e o aroma do gozo. Nessa ocasião era muito agradável e fácil ter comunhão com Deus. Sentíamos-nos cheios de gozo e felicidade. Até o céu estava mais perto de nós. Nada nos parecia impossível. Nessa época achávamos que cada dia seria um dia de vitória.

     Entretanto, essa maravilhosa condição não durou muito e essa maravilhosa esperança não se fez realidade. Os pecados que críamos que haviam passado ou que havíamos vencido, de repente retornaram. Pensávamos que os havíamos deixado para trás, mas voltaram. Nosso antigo mau gênio retornou; o orgulho voltou e nossa inveja surgiu outra vez. Talvez tentássemos ler a Bíblia, mas era inútil. Talvez orássemos, mas esse doce sabor já não havia mais. Aquele zelo que tínhamos pelas almas perdidas havia-se desvanecido. O amor começou a minguar. Alguns assuntos, sim, haviam sido solucionados, mas outros não os pudemos resolver. Nossa canção diária tornou-se uma canção de derrota e não de vitória. Em nossa vida cotidiana experimentamos mais fracassos que vitórias. Começamos a sentir um grande vazio interior. Ao comparar-nos com Paulo, João, Pedro e outros cristãos do primeiro século, concluíamos que havia uma grande diferença entre a experiência deles e a nossa. Não podíamos ajudar os outros. Podíamos somente falar do aspecto vitorioso de nossa experiência. Não conseguíamos falar-lhes daquilo em que havíamos fracassado. Achávamos que os dias de vitória eram poucos, e que os dias de fracasso eram numerosos. Vivíamos diariamente na miséria. Essa é a experiência comum de muitos cristãos.

      Quando fomos salvos, pensamos que já que nossos pecados haviam sido perdoados, nunca retornariam. Achamos que a paz e o gozo experimentados permaneceriam sempre conosco. Lamentavelmente, os pecados e as tentações voltaram. As experiências elevadas tornaram-se poucas e as experiências baixas tornaram-se constantes. Houve menos momentos de gozo e os momentos tristes tornaram-se mais freqüentes. Nessa situação experimentamos duas coisas: de um lado as tentações, o orgulho, a inveja, e o mau gênio voltaram; e de outro, esforçamo-nos para nos reprimir. Assim que esses pecados retornam, esforçamo-nos para refreá-los e impedir que se manifestem. Os que conseguem refrear-se, acham que venceram, e os que não conseguem, vivem num círculo vicioso de fracasso, vitória, pecado e remorso. Como conseqüência, caem num desânimo profundo. Pouco depois de ser salvos, reprimem seus pecados de modo consciente ou resignam-se pensando que a vitória é impossível. Tornam-se negativistas e se desanimam. De um lado, experimentam alguma vitória; mas de outro, experimentam muitos fracassos. Quando conseguem refrear-se, seus pecados são detidos temporariamente; mas quando caem cedem ao inevitável destino de cometer pecados.

      Irmãos e irmãs, gostaria de lhes fazer uma pergunta diante de Deus. Quando o Senhor Jesus foi à cruz, esperava que tivéssemos a experiência que temos hoje? Quando foi crucificado, Ele sabia que nossa vida seria vitoriosa num dia e derrotada no dia seguinte? Sabia que seríamos vitoriosos pela manhã e derrotados à noite? Será que Suas realizações na cruz são insuficientes para fazer com que O sirvamos em santidade e justiça? Será que Ele derramou Seu sangue na cruz com a finalidade de livrar-nos somente do castigo do inferno, mas não da dor do pecado? Será possível que o Seu sangue derramado na cruz é suficiente só para nos salvar da dor do pecado no futuro, sem nos salvar da dor do pecado no presente? Oh! irmãos e irmãs, não posso evitar dizer "Aleluia!" O Senhor de fato realizou tudo na cruz! Na cruz Ele não só colocou um fim à dor do inferno, mas também à dor do pecado. Ele não apenas lembrou-se da dor do castigo do pecado, mas também da dor do poder do pecado. Ele preparou um caminho de salvação para nós, que nos capacita a viver na terra da mesma maneira que Ele viveu. Irmãos e irmãs, Cristo não acabou só com o sofrimento do inferno, mas também com o sofrimento do pecado. Em outras palavras, Sua obra redentora não nos deu a posição e a base para sermos salvos apenas de maneira superficial, mas também para que fôssemos salvos plenamente. Não temos de viver da maneira que vivemos hoje. Temos de dizer: "Aleluia!" Porque há um evangelho para os pecadores e também um evangelho para os "cristãos pecadores". O evangelho aos cristãos pecadores se prega da mesma maneira que a cruz nos foi pregada antes. Aleluia! Hoje há um evangelho para os cristãos pecadores.
(Capítulo II do livro A VIDA QUE VENCE-Watchman Nee)
Todos os direitos reservados.

Ele nos chama...

O meu amado fala e me diz: Levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem!
(Cantares de Salomão 2:10)

Carta de Pedro- apóstolo de Jesus.


Saudação

"Escrevo esta carta ao povo de Deus que vive espalhado por todo o mundo...Vocês foram escolhidos de acordo com o propósito de Deus, o Pai. Que a graça e a paz estejam com vocês e aumentem cada vez mais, por meio do conhecimento que vocês têm de Deus e de Jesus, o nosso Senhor!
O poder de Deus nos tem dado tudo o que precisamos para viver uma vida que agrada a Ele, por meio do conhecimento que temos d’Aquele que nos chamou para tomar parte na Sua própria glória e bondade. Por isso mesmo façam todo o possível para juntar a bondade à fé que vocês têm. À bondade juntem o conhecimento e ao conhecimento, o domínio próprio. Ao domínio próprio juntem a perseverança e à perseverança a devoção a Deus. A essa devoção juntem a amizade cristã e à amizade cristã juntem o amor. Pois são essas as qualidades que vocês precisam ter. Vocês fazem bem em prestar atenção nessa mensagem. Pois ela é como uma luz que brilha em lugar escuro, até que o dia amanheça e a luz da estrela da manhã brilhe no coração de vocês. Que vocês tenham, mais e mais, a graça e a paz de Deus!"
Assinado: Simão Pedro

Jesus é o Nosso Amado Senhor!!!

O evangelho da vida é para o viver do Corpo


"Nenhum membro é dispensável no Corpo. Às vezes alguns na igreja podem desejar excluir um irmão por ele ter uma opinião diferente. Mas no Corpo jamais podemos fazer isso. Mesmo que nosso dedo mínimo esteja com problemas, não pensamos em cortá-lo; pelo contrário, procuramos ajudá-lo porque o corpo tem uma relação de vida com ele. Nós somos membros do Corpo de Cristo e por nenhum motivo deixamos de ser parte dele. A vida de Deus que obtivemos quando cremos no Senhor Jesus fez de todos os regenerados membros do Corpo de Cristo. Louvamos ao Senhor, pois, mesmo que alguém diga que não somos do Corpo, isso não é verdade; uma vez que recebemos a vida divina em nosso interior, por meio do evangelho, somos parte do Corpo de Cristo! Aleluia!"
(Irmão Dong Yu Lan-Alimento Diário)

Aquele que perseverar até o fim será salvo.


Estamos vivendo tempos difíceis e dolorosos.
Os dias são maus,mas aquele que perseverar até o fim será salvo.
Não podemos desanimar agora,o nosso Rei vem e com Ele está a nossa recompensa.
Só precisamos manter os olhos fixos nEle,apenas isso.
Ele é belo,é atraente,é lindo e com Ele está todo poder.
Em breve reinaremos com o Senhor e seremos desposados por Ele,que tanto nos ama e quer que vivamos juntinhos dEle para sempre,reinando sobre as nações.
A eternidade é nossa!

Por que elas agem assim?!



As vezes fico pensando naquelas pessoas que não querem nos ver bem e fico triste,meu coração se abate te tal forma que chega a doer.
Por que elas agem assim?!
Eu simplesmente não entendo,mas sei que o fim delas não será nada bom.
Elas certamente terão que passar pelo refinar de Deus para serem transformadas.
Vai doer muito mas será preciso, pois, como Deus levará para reinar com Ele uma pessoa que não deseja o bem do outra?
Há um consolo para nosso coração...DEUS está conosco e torce pelo bem e pelo nosso sucesso.Não importa quem,ou que as pessoas invejosas façam contra nós,Deus nos exaltará.

O abrir do meu coração não é para aquelas pessoas que ainda não servem ao Senhor mas para aquelas que se dizem ser cristãs e curtem a inveja no coração,não desejam ver outro irmão sendo honrado.
Isso é feio,é desprezível e certamente é inaceitável para nosso Senhor,que nos salvou, para que sejamos uma nova criatura,totalmente liberta ,vivendo o oposto do que o mundo é e faz.

Que o Senhor tenha misericórdia de nós.
Amém!

Sempre...sempre...sempre!


Não deixe faltar na sua vida...



Dia abençoado pra você!

Amor que não se pode medir.

Palavras de Irene do blog DESPERTANDO VIDAS.

E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo (Mateus 24:14)


      A salvação de Deus é completa e perfeita. Ela não visa apenas à salvação de nosso espírito humano, mas também de nossa alma. Esse é o evangelho do reino.O Senhor Jesus profetizou acerca de uma época que antecederá o fim dos tempos, chamada de "princípio das dores": "Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo" (Mateus 24:10-13).
A salvação referida nessa passagem pode ser aplicada à alma. É o aspecto da salvação que obtemos por meio da perseverança.
Perseverança, nesse contexto, não significa apenas resistir a dificuldades,nem prosseguir a qualquer custo tendo em vista certo intento. Há algo mais aqui: a prática do amor, tanto do amor fraternal como do amor ágape. Segundo a Palavra, quase todos os filhos de Deus permitirão que, em tantas circunstâncias negativas, o amor se esfrie. Mas, se quisermos obter a salvação da alma, devemos manter viva a prática do amor divino. Para isso,precisamos voltar ao primeiro amor e à prática das primeiras obras (Apocalipse 2:4-5). Em outras palavras, mesmo diante da iniquidade, da falta de consideração de uns para com os outros, do engano, da traição e da dissensão, nosso esforço deve convergir para a seguinte atitude: perseverar em amar os inimigos e orar pelos que nos perseguem.
   Além disso, é necessário apascentar os que o Senhor pôs sob nosso cuidado, edificando-os e consolando-os. Isso significa cuidar da família, orar por quem se encontra em dificuldades e no devido tempo alimentar os conservas que o Senhor nos confiou. Se, em algum momento, deixamos de realizar essas obras, escandalizados com situações negativas, paralisados diante do aumento da iniquidade e do engano, ainda há tempo para voltar à prática das primeiras obras, perseverando em expressar o amor de Deus em toda circunstância.

'Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo" (Mateus 24:10-13).
Jornal Árvore da Vida/270