O pato

Havia um pequeno menino que visitava seus avós em sua fazenda e foi dado a ele um estilingue para brincar no mato.
Ele praticou na floresta, mas nunca conseguia acertar o alvo.
Desanimado, ele voltava para jantar, quando viu o pato de estimação da avó e, em um impulso, acertou a cabeça do pato e matou-o.
Chocado, triste e em pânico, ele escondeu o pato morto na pilha de madeira!
Sally (sua irmã) tinha visto tudo, mas ela não disse nada.
Após o almoço no dia seguinte, a avó disse: "Sally, vamos lavar a louça"
Mas Sally disse: " Vovó, Johnny me disse que queria ajudar na cozinha "
Em seguida, ela sussurrou ao ouvido do irmão: "Lembra-se do pato? '
Assim, Johnny lavou os pratos.
Mais tarde naquele dia, quando vovô perguntou se as crianças queriam ir pescar, a vovó disse "me desculpe, mas eu preciso de Sally para ajudar a fazer o jantar".
Sally apenas sorriu e disse, "eu vou porque Johnny me disse que queria ajudar no jantar". Novamente sussurrou no ouvido do irmão: "lembra-te do pato?"
Então Sally foi pescar e Johnny ficou para ajudar.

Após vários dias de Johnny fazendo o trabalho de Sally, ele finalmente não aguentava mais.
Ele veio com a avó e confessou que tinha matado o pato.
A avó ajoelhou, deu-lhe um abraço e disse:
"Querido, eu sei... eu estava na janela e vi a coisa toda, mas porque eu te amo, eu te perdoei. Eu só estava me perguntando quanto tempo você iria deixar Sally fazer de você um escravo."
Pensamento do dia e todos os dias depois:
Qualquer que seja o seu passado, o que você tem feito... O diabo fica jogando-o no seu rosto (mentir, enganar, a dívida, medo, maus hábitos, ódio, raiva, amargura, etc ).... seja o que for... Você precisa saber que:

Deus estava de pé na janela e viu a coisa toda.


Ele viu toda a sua vida ... Ele quer que você saiba que Ele te ama e que você está perdoado. Ele está apenas querendo saber quanto tempo você vai deixar o diabo fazer de você um escravo.
A grande coisa acerca de Deus é que quando você pedir perdão, Ele não só perdoa, mas Ele se esquece.
É pela graça e misericórdia de Deus que somos salvos.
Vá em frente e faça a diferença na vida de alguém hoje.

JESUS É O SENHOR!
Abraços!


Contristados por várias provações

(Ler com oração:Ezequiel 1:4; 1 Pedro 1:6-7)


Quando Pedro fala de sofrimentos, conseguimos ver claramente a graça do Senhor. Por não querer que em Seus filhos ainda haja essas impurezas, Ele nos vem provar. Essa provação não é exterior, não é como ser injuriado ou coisa assim, mas é para nos provar e purificar, com a finalidade de remover nossas impurezas. Para ilustrar isso, Pedro usa a figura do ouro sendo refinado. Em estado natural o minério de ouro tem muitas impurezas. Primeiramente o garimpeiro o lava com água e muitas impurezas já são ali retiradas. Para ser refinado, porém, o minério é colocado num cadinho, vaso de material resistente ao fogo usado para derreter minérios e minerais em altas temperaturas. O cadinho pode até ficar incandescente, mas ele mesmo não derrete. O minério de ouro é sólido, mas torna-se líquido sob a alta temperatura.
Quando derretidos, os minerais de peso específico maior, isto é, os metais mais pesados, vão para o fundo. Hoje há mais de cento e dez elementos químicos conhecidos e o ponto de fusão de cada elemento é diferente. Alguns talvez derretam a uma temperatura mais baixa, mas o ouro funde-se a uma temperatura muito elevada. Quando o ouro se funde, os elementos mais leves vêm à tona e assim podem ser removidos. Dessa forma o que resta no cadinho é mais puro. Contudo ainda não há cem por cento de pureza.
Em 1 Pedro 1:6b lemos: “Sejais contristados por várias provações”. Essa passagem fala de várias provações, e não de apenas uma, porque há muitas coisas em nós que requerem temperatura mais alta. Se a quinhentos graus elas não vêm à tona, precisamos de oitocentos graus, aí, sim, elas vêm à tona. As que são mais leves, ou seja, as que têm peso específico menor, aparecem e podem ser removidas. Assim pode ser que quarenta por cento de nossas impurezas já tenham sido removidas, mas ainda restam sessenta por cento. Agora Deus continua a nos colocar no fogo e a aumentar a temperatura, para que, por meio de várias purificações e refinos, sejamos transformados.
Talvez nessas provações nem todos experimentem o que Pedro sofreu, pois, embora tenhamos nosso homem natural muito forte, somos diferentes uns dos outros. Para alguns, talvez dez ciclos de purificação já sejam suficientes; para outros são necessários vinte. Pedro sabia que precisava ser apurado pelo fogo e todos nós devemos sabê-lo também.
Quando sofremos, somos contristados. Desde que fomos salvos, Deus usa várias situações para que sejamos purificados: situações na família, de trabalho e na igreja. Todas elas são como fogo que nos purificam. Claro que ficamos tristes, contristados, mas esse contristar é a graça de Deus para que essas impurezas sejam removidas e sejamos aprovados no tribunal de Cristo. Graças ao Senhor porque Pedro nos encoraja, dizendo: “Por breve tempo”.
Vejamos os versículos 6 e 7: “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”. Pedro ilustra nossa fé com algo físico: quando apuramos o ouro, refinando-o, usamos altas temperaturas. Essas temperaturas definem qual é o quilate do ouro, isto é, a quantidade de ouro contida numa liga. O ouro puro, por exemplo, contém vinte e quatro quilates. Cada ciclo de purificação estabelece a porcentagem de ouro que há na liga. Numa liga de doze quilates há, portanto, cinqüenta por cento de impurezas. Aplicando à nossa experiência espiritual, esse ouro ainda é natural, físico e perecível.
Mas nós, que passamos por várias provações, ganhamos um ouro mais precioso do que esse. Conseqüentemente, depois de várias provações, nosso ouro vai se tornar o metal brilhante (que algumas versões traduzem por electro) citado em Ezequiel 1:4. É desse ouro que a Bíblia nos fala.
Ponto-chave:
Purificados até nos tornar como o electro

Pergunta:
Em sua experiência, que representam as altas temperaturas?


Ele me conquistou.Dele eu sou.


Jesus, o meu Amado,
Me conquistou;
E qual jardim fechado
Somente Dele eu sou!
(Hino Árvore da Vida)


Guardar o nosso coração.



Precisamos todos os dias rogar ao Senhor que nos ajude a guardar o nosso coração.Por nós mesmos jamais conseguiremos nos manter fiéis e puros ao Senhor.Por isso devemos todos os dias nos apresentarmos a Ele... com toda a confiança , para que recebamos misericórdia e encontremos o poder que nos socorre no momento da necessidade.

Autenticidade da Bíblia

Um dos fatores predominantes, que alguns cientistas utilizam para negar a autenticidade da Bíblia, é a teoria da evolução, de Charles Darwin, na qual é afirmado que o homem é proveniente do macaco e veio evoluindo até chegar ao estágio atual. Mas atualmente, a própria ciência está descobrindo que Darwin estava enganado, pois dentro da cadeia de evolução, o fóssil do ancestral mais antigo do homem, é o do Ardipithecus, datado de 4,4 milhões de anos, no qual o homem era mais parecido com macaco do que como nós somos hoje, a questão é que foram descobertos  recentemente  fósseis de um homem que tem  a idade de 6 milhões de anos, o qual anularia toda a teoria da evolução, pois este homem tem as características da arcada dentária e de diversos outros ossos bem parecidas conosco. Outra coisa que tem tirado o credito da teoria evolucionista é o fato de que as gerações intermediárias, entre a suposta metamorfose de macaco para homem,  terem se extinguido de maneira inexplicável, o que torna mais evidente de que a Bíblia tem razão quanto a criação de Deus. Se estas conclusões que a ciência está chegando estiverem corretas, anula-se a teoria de Darwin e confirma-se a palavra de Deus. Caso você queira saber mais sobre está descoberta, leia a revista Veja, da Editora Abril, número 50, de 13 de dezembro de 2000 - páginas 88-90.


Salvar almas versus a obra de Deus.


Devemos distinguir a obra de salvar almas e a obra de Deus. Muitas vezes, a obra de salvar almas não é necessariamente a obra de Deus. Salvar almas resolve o problema do homem, mas a obra de Deus demanda que o homem exerça autoridade para ter domínio sobre todas as coisas criadas por Ele. Deus necessita de uma autoridade em Sua criação, e Ele escolheu o homem para ser essa autoridade. Se estivéssemos aqui apenas para nós mesmos como meros homens, então, toda nossa busca e anseio seria amar o Senhor mais, e sermos mais santos, mais zelosos e salvar mais almas. Todas essas buscas são, verdadeiramente, boas, contudo são muito centradas no homem. Essas coisas se preocupam simplesmente com o benefício do homem; a obra de Deus e a necessidade de Deus são inteiramente negligenciadas. Devemos ver que Deus tem Sua necessidade. Estamos na terra não meramente para a necessidade do homem, mas, ainda mais, para a necessidade de Deus. (...) [Se] salvarmos todas as almas no mundo inteiro, não temos, contudo, cumprido a obra de Deus ou satisfeito a exigência de Deus. Temos aqui algo chamado a obra de Deus, a necessidade de Deus. (...) Deus precisa de homens em quem Ele possa confiar e que não falharão com Ele. Essa é a obra de Deus, e isso é o que Deus deseja obter.
... Se toda nossa obra for apenas pregar o evangelho e salvar almas, não estamos levando Satanás a sofrer a perda fatal. Se o homem não tem recuperado a terra das mãos de Satanás, ele ainda não atingiu o propósito de Deus ao criá-lo. Salvar almas é, frequentemente, apenas para o bem-estar do homem, mas lidar com Satanás é para o benefício de Deus. Salvar almas resolve a necessidade do homem, mas lidar com Satanás satisfaz a necessidade de Deus.
 (Watchman Nee,)

Precisamos crer nisso...


O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê.



O poder do evangelho, o operar da luz e o dissipar das trevas.


Em Romanos 1:21-32 vemos inúmeros pecados cometidos pelos homens. Ao olhar essa lista podemos pensar que não há salvação para pessoas assim. Entretanto, louvado seja o Senhor, o evangelho é o poder de Deus para salvação de todo o que crê.
Até mesmo as pessoas que cometem esses pecados, mesmos as que vão contra Deus, podem ser salvas. Por isso voltamos a dizer: não importa quão grave seja o pecado, o evangelho, que é o poder de Deus, chegou até nós e nos deu a remissão dos pecados. O objetivo do evangelho da graça é salvar todo tipo de homem, mesmo o que se encontra na condição mais vil.
Diante da condição do homem, apresentada por Paulo no início de sua epístola aos romanos, vemos que todos nós precisamos ser iluminados. Deus é luz, por isso Ele não justificará aquele que erra, pois não inocenta o culpado. No entanto, ao menor sinal de arrependimento, Deus o perdoará (Na 1:3; Rm 2:4).
Quando estamos sob a luz divina, vemos nossa condição e conhecemos o próprio Deus. Em 1 João 1:5 lemos: “Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma”. Esperamos que a luz divina alcance todas as pessoas.
O versículo 6 diz: “Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade”. Isso prova que há a possibilidade de que filhos de Deus mintam e levantem falsas acusações.
Prosseguindo no versículo 7: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. Se estamos na luz, mantemos comunhão, e quem está na comunhão ainda tem chance de ser purificado. Na comunhão, temos o sangue de Jesus, Seu Filho, que nos purifica de todo pecado. Por estarmos na era da graça ainda temos a oportunidade de reconciliar-nos com Deus. Se confessarmos nossos pecados, o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purificará.
A luz descrita na Primeira Epístola de João dissipa as trevas dos pecadores descritos no primeiro capítulo de Romanos. O homem que cai na situação de pecado precisa ser iluminado e em seguida confessá-lo, senão o pecado permanecerá, e, quando o Senhor voltar, Seu julgamento estará sobre ele.
Na luz enxergamos nossos pecados e podemos confessá-los. Nela passamos a ter comunhão com Deus, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado. Louvado seja o Senhor! Enquanto a luz opera, podemos ver que o evangelho é o poder de Deus (Rm 1:16).
Vejamos o que diz 1 João 2:8: “Todavia, vos escrevo novo mandamento, aquilo que é verdadeiro nele e em vós, porque as trevas se vão dissipando, e a verdadeira luz já brilha”. A verdadeira luz que já brilha dissipa todas as trevas. Assim como o sangue é capaz de nos purificar de “todo pecado”, a luz divina é forte para dissipar todas as trevas. Louvado seja o Senhor! Isso confirma que o evangelho é o poder de Deus.
Ponto-chave:
O perdão de Deus.

Pergunta:
Você tem confessado e se arrependido de seus pecados?